Trabalhadores da empresa Maxtec paralisam atividades e cobram salários atrasados

Mais uma vez, o comando da Prefeitura de São Luís por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), vem mostrando total despreparo para gerir a capital maranhense, principalmente em relação aos profissionais da limpeza que trabalham nos hospitais de responsabilidade do executivo municipal.

Em virtude dos salários em atraso, os trabalhadores da empresa Maxtec, que prestam serviços aos Hospitais Socorrão I (Djalma Marques), Socorrão II (Clementino Moura), da Mulher e da Criança, cruzaram os braços na manhã desta quarta-feira (17), por falta de pagamento, há cerca de 2 meses em atraso.

O presidente do Sindicato de Asseio e Conservação de São Luís, Maxwell Bezerra, acompanhado dos diretores Augusto Magalhães, Ribamar de Brito, José Valdo e o colaborador Márcio Silva, estiveram presentes nos setores para apoiar a paralisação dos profissionais.

“É inadmissível o trabalhador passar por essa situação. O prefeito Eduardo Braide e a empresa Maxtec precisam solucionar esse impasse em caráter de urgência, para que os nossos trabalhadores não sejam ainda mais prejudicados. O Sindicato vai tomar todas as providências jurídicas cabíveis e continuar apoiando a paralisação dos trabalhadores. Até o momento não há previsão de pagamento dos atrasados”, pontuou o presidente.

Os trabalhadores afirmam que a empresa tem atrasado constantemente o pagamento dos salários nos últimos 8 meses, causando vários prejuízos financeiros aos mesmos. Segundo informações, a empresa alega que a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria de Saúde, não tem realizado os repasses devido aos profissionais que trabalham no serviço de limpeza desses hospitais.

Um ato totalmente desrespeitoso e desonesto por parte do prefeito Eduardo Braide com a classe de trabalhadores de Asseio e Conservação de São Luís, que são mães e pais de família que necessitam dos salários para seu sustento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.