SEEAC não aceita proposta indecente do patronal e vai à justiça garantir um reajuste digno a categoria

Na tarde da última segunda-feira (07), o Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação (Sindicato Patronal), ofereceu mais uma proposta de reajuste indecente aos trabalhadores da categoria, durante reunião na mesa de negociação, no Edifício Tech Office, Av. dos Holandeses, em São Luís.

Na ocasião estavam presentes o presidente do SEEAC-SLZ, Maxwell Bezerra, os diretores Augusto Magalhães, Ribamar de Brito, José Valdo e Deuzilene de Paula e a assessora jurídica da entidade sindical, Valúzia Santos. Também participou o presidente do Sinteac-MA, Manoel Paulino.

No decorrer das negociações, o Sindicato Patronal continuou intransigente e ofereceu uma proposta irrelevante as necessidades da classe trabalhadora. Maxwell Bezerra, presidente da entidade laboral, pensando no contexto atual, fez uma contraproposta para apreciação da entidade empresarial, mas infelizmente não foi aceita.

“Vamos lutar por um percentual que seja digno aos nossos trabalhadores. Todos os diretores juntamente com a assessoria jurídica do Sindicato, estão empenhados nessa empreitada para conquistar nosso principal objetivo; que é conseguir um reajuste salarial decente aos trabalhadores”, pontuou o presidente Maxwell.

Após diversas tentativas de negociação, o Sindicato Patronal permanece intransigente em relação ao reajuste. Diante disso, sem qualquer acordo por parte da entidade empresarial, o Sindicato dos Trabalhadores de Asseio e Conservação entrará com dissídio coletivo para que haja um acordo estabelecido judicialmente.

Fortalecer o Sindicato 

É por causa desse trabalho, acima de todos, que o SEEAC sempre insiste: mantenha seu sindicato forte através da campanha de filiação pois sem a entidade de classe, você deixa de conquistar melhorias salariais e outros benefícios, além de perder o que já foi conquistado.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.